11/03/2017

is a beautiful day out there

É um bonito dia lá fora. 
O céu está derramando suas lágrimas, para alguns, de alegria, para outros...
Pessoas correm a fim de evitar se molhar, os pássaros se escondem atrás das árvores, os carros começam a criar um engarrafamento dada a pressa. 
Há certos casais que não se importam com a chuva, e continuam andando como se o destino importasse. Há grupos de amigos animados que aproveitam a chuva para dançar.
Dentro, é como se chovesse também. Como um choro constante. 
A vida aconteceu. Mistura de objetivos com caminhos. 
Aqui dentro também venta constantemente, me dizendo que deveríamos ter tentando mais. Eu sei que este choro não terá fim. Um constante lembrete do que fomos. Irá doer para sempre. 
Este não era o nosso sonho. 
É um bonito dia lá fora. 
E para quem observa, a mochila nas costas indica mudanças, a mão no coração significa dores e cicatrizes, e os olhos de chuva com o olhar para a frente, demonstra coragem. 
Chove, só chove. Mas o caminho se faz caminhando. 
Haverá fé.

17/02/2017

I can't


O oceano possui geograficamente uma distância considerável para me fornecer conforto ou me perturbar o interior até a obtenção de respostas. A estrada, interminável à nossa frente, nos auxilia a discernir o caminho.
Todos os momentos são significantes para a felicidade e o futuro. Este momento. Neste momento. 
Neste momento, há um sentimento que constantemente pergunta qual o próximo passo, o que há por vir. Talvez tenhamos chegado ao fim do acumulo de "depois". O momento presente clama por passos, por decisões mesmo sem saber me afirmar se eu devo tentar um pouco mais.
Estou presa, pensando nisso, enquanto dirijo pela rodovia. Apenas sentada, olhando diretamente para o que há. 
Talvez todos nós sejamos culpados por chegarmos neste ponto. 
Talvez, você também esteja se afundando em incertezas. 
Contudo, existem certezas que posso afirmar.
Eu não vou mudar quem eu sou. 
Eu não posso!
Mas eu me recuso a mudar você.

10/02/2017

Inside Cap. One

Sol. Nesta manhã é possível ver o sol depois de incontáveis dias sob neve e frio. 
07:19am, 23/07/2021, Sydney, Australia. 
A rotina tem sido corrida, e constantemente exaustiva. O corpo se mantêm em uma sequência quase robótica de prestar serviço, se locomover, se alimentar, de dormir, como se não houvesse mais objetivos ou sentido, adicionar outras tarefas. 
Esta foi a maneira encontrada para seguir em frente. Ternos braços e noites quentes estão distantes da realidade e sonhos.
Uma sensação constante de afogamento que vem acompanhando no decorrer da vida. Sensação conhecida. Todos velhos amigos. Olhando para trás, não poderia se imaginar que isto perduraria durante demasiado tempo, e sobreviveria mesmo mediante a realização de conquistas. Ai está a constante mania de acreditar que existirá momento melhor do que o agora.
Memórias escapam pelas veias. Histórias baseadas em culpa, medo e regras. 
Haverá certa paz hoje. 
A porta está aberta, o vento frio sob o sol quente toca a pele, e traz um movimento instantâneo de auto-proteção. 
Novo dia, novas histórias, mesma rotina mas um novo drink, 
Há certas memórias, que até parecem ter sido em outra vida, mas hoje, há todo um caminho desconhecido e em branco. Existe linhas desta nova história e nova aventura a se escrever. 
Uma noite. Um drink. 
Novas histórias internas.

15/11/2016

For today, no histories

Ela poderia inventar qualquer história do mundo. Criar laços, sentimentos e algo lindo de se imaginar.
Mas não hoje.
É incrível como a mente pode criar histórias de amor, amizade, tristeza, traições... Histórias. Não passam de criação da mente. Muitas destas historias, tem o poder de deixar o leitor feliz ou triste junto com o personagem. Histórias tocam o leitor.
Mas não hoje.
Histórias são viagens mentais, sentimentos, desejos ou fantasias do escritor. As vezes, todos estes estados juntos são culpadas de trazer uma história a vida. Escrever é lindo pois é desabafo, é se manter aberto para a vida, é se conhecer.
Não hoje.
Ela gostava de criar histórias em sua cabeça, de criar possibilidades, de viver acordada vivendo várias histórias na mente ao mesmo tempo. As possibilidades são tantas, tão grandes, ela achava difícil escolher e viver conhecendo apenas uma história. Ela queria conhecer todas, sentir todas, viver todas. Ela era escritora e leitora das suas próprias histórias.
Mas não hoje. Por hoje, ela não inventaria histórias, ela apenas seria. Seria só. Pois não haveria amizades, amores ou história alguma a se estar.
Hoje ela queria apenas ser ela, e isto consistia em estar só.
Ela inventava histórias para tornar a vida mais colorida, para sentir algo. E sem histórias, era isso, ela era só.
Por hoje, ela iria ser só.

20/08/2016

true and history

Ela tinha olhos grandes, expressivos, sorridentes e tinham uma característica onde eles ora transmitiam a existência de muitas historias a serem contadas, ora vazios.
Ela vagava dentro de si mesma para outros estados, outras posições, outras opiniões. Era tudo tão difícil. Lidar com as pessoas, com o presente, com o futuro. Sempre julgava as melhores escolhas para o momento. E aos erros, admitia-os.
Garota sonhadora com campos de flores, mar, desafios, risos e cores.
Mas de todos os seus aspectos, um destes se destaca; honrava seu coração e sentimentos, portanto, só transmitia verdades as pessoas ao seu redor.

“Duvida tu que as estrelas são fogo, duvida que o sol se mova, duvida da verdade, que seja mentirosa, mas nunca duvides que eu amo.”
William Shakespeare

Ela esperava que não duvidassem das suas palavras. Mas eles duvidavam. E ela continua falando e demonstrando apenas verdades. Um dia durante a história, haverá alguém à acreditar. 
Um dia.

17/06/2016

sweet pillow

E eu desejei. Eu desejei ter tido a coragem. A 5 anos atrás. Ontem. A um minuto atrás.
Eu desejei coragem...
E continuei vivendo.
A imagem refletida traz gotas de chuva aos meus olhos.
Uma fraude. Um falso herói. Já imaginou se tornar algo que teme?
O 'um dia' não mais me soa real.
Serei eu mais um que vive conformado/inconformado e acreditando que já encontrou seu campo de flores amarelas?  Serei eu mais um na multidão?
Onde estão os erros? Estão em todos os lugares, em todo o meu redor, e em tudo que me toca.
Existem erros? De quem são os erros?
Haverá uma explicação para o não ser?
Eu não acredito.
Como se cura uma alma danificada? Danificada de angústias, dores, e sensível?
Eu sou uma alma danificada. Cheia de buracos, rasgos, e arranhões. De onde vem tudo isto? Pensei. Não encontrei respostas. E... ?
E continuei vivendo.
Há um circulo e me sinto presa.
Existem varias gotas de chuva a molhar o meu travesseiro esta noite.

26/04/2016

I promise you


Todos nós temos medo. Medo de mudança, medo de tudo continuar igual. Difícil, é resistir a vontade de fugir do que temos medo.
A vida nos impõe situações onde achamos a nós mesmos vulneráveis e frágeis, e é quando falamos ou fazemos algo que não ficamos satisfeitos com nossas próprias atitudes. Pedir desculpas por cada vez seria em vão, devido a quantidade de erros e deslizes que são cometidos, contudo, sempre buscarei não cometer os mesmos erros e demonstrar que sinto muito.
Amor é uma palavra forte demais e cheia de coisas grandiosamente belas.  Qualquer ideia de dor, seria culpa do apego, da expectativa, e não do amor. Amor remete a um mundo cheio de paz, dentro de nós, e com quem é compartilhado. Eu amo você. A vida ganhou tanta cor ao seu lado. Houve tanta cor, há muita cor, e haverá mais cores, porque não deixamos de ser essência, nunca deixaremos, e este sentimento persistirá para sempre. Eu faria tudo e qualquer coisa por você, pra te ver feliz, pra te ver em paz, satisfeita. Não há melhor pessoa no mundo com quem eu poderia morar, compartilhar a vida e viver junto, pois nunca iria te ferir e poderia te cuidar, te proteger. Não estar bem com você, torna meus dias mais azedos e escuros.
Você é meu primeiro amor, e eu prometo te respeitar, ajudá-la a amar a vida, a sempre abraçá-la com ternura e ter a paciência que o amor exige. Falar quando palavras forem necessárias e compartilhar o silêncio quando não forem. E viver no calor do seu coração e sempre chamar de lar.
Que Deus abençoe seu coração e sua vida para que seja repleta de paz, saúde e felicidade. Que todo sucesso do mundo te alcance. A cada ano, devemos nos focar em tudo de bom que colecionamos e na sabedoria que adquirimos. Feliz Aniversário!
Estas são palavras do meu coração, para o seu.

"Cuide de você. Não sofra sem necessidade.
Me queira bem. Te quero bem."
(Caio Fernando Abreu.)

02/04/2016

Answer

Como explicar o inexplicável? 
Respostas. Todos buscam por respostas. Mas... Não há respostas. Avisem a todos. Não haverá respostas as perguntas não respondidas. Aceite. Terá que ser instinto. Terá que ser sentido. Terá que ser o que é.
A interação entre dois ou mais seres, é instinto. Há um infinito dentro de cada ser, e um entendimento alheio de um ser humano para outro, nunca será possível. Nossos infinitos está ao cuidado de cada um de nós, única e expressamente. Entre dois seres pode haver aceitação, nunca entendimento. Terá que ser instinto e sentido. 
Até onde você pode ir? É com você! Não encontrará esta resposta em lugar algum.

26/02/2016

I can fly

Olhar para trás é assustador. Eu me lembro onde tudo começou, daquela noite, o local exato onde as minhas costas repousaram até o chão receber meu corpo inerte, a musica que se passava na minha cabeça, e o que nunca calou: o que eu sentia dentro de mim. Minha mente tenta registrar este momento como o começo do grande vazio. Mas se eu puder voltar um pouco mais atrás, eu vejo que este vazio sempre esteve presente; embora nunca tenha um real significado. Eu me lembro de ter uma determinação, objetivos, planos, eu me lembro de tudo, e me pergunto onde tudo aquilo foi parar?

O sentimento de mais ou menos reina, o sentir que há muito mais persiste cada vez mais forte. Neste meio termo as minhas determinações estão sendo sugadas dia após dia, diminuindo minhas forças e me tornando algo ou alguém frágil demais, em alguém que deseja apenas viver sob os grandes guias que são as estrelas e sobre o incrível cheiro e textura das flores. Ando esquecendo que não existe apenas flores nesta vida. E me lembrar disso me deixa triste. Me sinto em um universo cheio de grandes maravilhas criadas pelO Criador como visões, cheiros, sabores, sons e texturas. Pensando bem, quero ser frágil e tola. Quero dançar sob cada som ou batida que me toca a alma, quero o bem de todos e o bem estar alheio. Quero sorrisos, meus, seus, de todos. Quero paz!

Olhar para o futuro é assustador. Não há previsão de paz.
,,.
Não há previsão de paz.

Arte me toca. Arte me encanta.
Em todos os momentos em que me sinto oprimida, até mesmo por mim mesma, eu me lembro de uma arte. Uma única arte. Há um alazão correndo muito, sob um lindo céu azul e sobre maravilhosas flores amarelas... A imagem feita através de arte, captou sentimentos e um clima onde nenhuma foto ou tecnologia poderia transpor para aquele pedaço de papel. Se eu fechar meus olhos agora, consigo me lembrar da imagem e de como parece que ela esta viva, onde o alazão corre livremente por belas paisagens onde sua feição demonstra grandes traços de serenidade. Ainda de olhos fechados, eu me sinto dentro desta imagem, desta cena, E eu sinto que eu posso voar.
De olhos fechados, eu sinto que eu posso voar.

Eles dizem que cada átomo do nosso corpo, já foi parte de uma estrela antes.. Talvez eu não esteja partindo... Talvez eu esteja voltando para casa. 

22/01/2016

wishing

Logo eu, que nunca fui boa o suficiente em algo e sempre fiquei na retaguarda em todas as situações que eu considerava difícil. Me vi ali. Paralisada na sua frente, tentando me tornar uma pessoa melhor, pensando em algum modo de fazer você ficar. Pedindo a todas as estrelas cadentes, que você permanecesse. E imaginando o quanto seria bom se elas me ouvissem.

23/11/2015

I always knew

Eu soube. Eu sempre soube. 
Existem sensações que escondemos logo abaixo da superfície, como uma segunda pele, que as pessoas não notam e é possível viver uma longa vida sem precisar olhar, pensar, se quer explicar para si e para outros. 
Por todos estes anos compartilhamos sorrisos, abraços, beijos e momentos tão singelos onde minha alma se sentiu profundamente tocada e acalentada, e sonhamos, sonhamos juntos, onde você sempre pensou sonhar e sentir sozinho, eu sempre estive ao seu lado, sonhando junto, desejando junto todos os planos, fervorosamente e com tanta intensidade que me vem gotas de chuva aos olhos. Eu nunca pude dizer, e você nunca pode escutar. 
Certa vez, distraída estava, até que um lindo passarinho amarelo, sim, ele possuía a barriga amarela e a cabeça branca, como era lindo! Este frágil bichinho tocou com seu bico o vidro a minha frente, logo me chamando atenção. Me veio um sorriso tão grande, acompanhado de uma risada ao olhar aquela maravilha. E o passarinho continuou a bater com o bico no vidro, com leve pausas entre as batidas, como se estivesse chamando atenção, e eu só pensei "acorda!". "Acorda!". E eu chorei, chorei, aparentemente como uma criança, mas na realidade, como uma adulta possuída de angústias que sempre me acompanharam. "Acorda!". Talvez eu tenha vivido pela superfície por tempo demais.
Seu sorriso. Nada no meu mundo, é mais importante que o seu sorriso. E mesmo tentando explicar, acredito que nunca serei capaz de dizer algo que te faça entender que, esse mar de buracos que há dentro de mim sempre me puxa, sempre me submerge de forma que por constantes vezes me sinto a mercê de todas estas dores e sensações que me trazem tristeza. 
Seus sonhos também eram meus, pois eu os desejei antes de ti ao criar para mim um espaço de paraíso na terra com você. Foram tantos sonhos. Foram tantas vidas que se passaram. E eu não pude viver. Eu não pude me atrever a tocar algo tão puro e singelo com minhas dores, então, te deixei ir. Te ver partir, aumentou a minha ferida. Mas vá meu amor, vá, não quero que sintas em ti o que sinto. Eu te preservo e te cuido, até de mim...
Eu sempre admirei o mar, tão imenso e profundo, contudo, sempre tive medo. Eu entendo o porque. 
Eu soube. Eu sempre soube. Que todos me pertenceriam, mas eu não poderia pertencer a ninguém.

21/06/2015

Querida Lola 4,

Descobri porque nos últimos tempos imagens de estrada me encantam tanto, mais do que antes, mais do que o normal. Porque eu quero fugir!
Eu sempre quis fugir. Você deve se lembrar de algumas das tantas vezes que eu traçava planos para lugares distante e ideias que me levavam mais distantes ainda. 
Nos últimos dias vi uma citação que me paralisou, ela dizia mais ou menos assim a uma pessoa especifica: "A sua vida não é simples Fiona, e você não pode se esconder porque você não é fake. Você não está perdida, você não precisa se encontrar,". Ai eu pensei... eu poderia ser a Fiona? E eu senti que talvez eu não esteja perdida também. 
Eu nunca quis fugir diretamente das pessoas, tanto que, fugindo ficaria distante das pessoas que mais amo. Eu entendo que meus pais justamente por me amar, me querem bem e por perto.  Eu nunca quis me apegar a mais ninguém pelo simples fato de acrescentar pessoas a lista de quem eu supostamente ficaria longe. Acho que esse apego sempre me deu medo, porque as vezes ele prendia e sufocava, e eu sabia que eles não faziam por mal, pois pensavam em mim em primeiro lugar. Peço perdão por soar ingrata, me sinto culpada de tal forma que remediaria de toda a forma possível para consertar este delito, e a única forma que tenho de explicar, e explico-a com muita dor, é, não me sinto bem quando pegam pedaços do meu coração e tentam aprisiona-lo, doí de uma forma inimaginável. 
Agora, neste momento em que escrevo estas palavras, noto que sempre quis alcançar a liberdade, mas eu não sabia o real sentido... Percebo agora, a liberdade que eu sempre quis descrever, era como borboletas no estômago sabe... quando a gente fica bem feliz e sente tudo flutuar por dentro... encantar corações, ser encantada, fazer o bem, receber o bem, adquirir varias borboletas, proporcionar a alguém varias borboletas... de forma livre, de ir e vir, pois esta liberdade te faz ficar de coração limpo e livre.
Toca Hallelujah de Kate Voegele no rádio agora. Essa música sempre me faz ter pensamentos e sentimentos nostálgicos e algumas vezes angustiantes, Eu coloquei o player para repetir a mesma música. Quando a angustia me vem, ela me cobre, me inunda.
Tenho a inocência de viver dias ensolarados de coração livre, e conviver com pessoas com borboletas a oferecer. Sou realista, sei que sempre teremos pedaços perdidos eternamente, outros roubados, mas acredito que qualquer pedaço existente pode brilhar, receber e passar borboletas.
Nós somos almas de laços eternos, de um amor real, de um 'eu faria tudo por você'. Por tanto tempo compartilhamos essa liberdade, trocando borboletas, e compartilhando a vida, de coração limpo.
Desde que me conheço, eu sempre quis fugir, mas fugir também me doía. É difícil explicar, mas só sei que doía ficar e doía partir. Então aprendi, que existem coisas de que não se é possível fugir, não importa a distância física ou o contato.
Você sempre me ajudou a, de pouco a pouco, libertar pedaços do meu coração aprisionados em um outro. Eu vi meu coração sendo iluminado e encontrei a liberdade que almejo, que sempre almejarei. Mas agora... Querida Lola, não aprisione um pedaço do meu coração também. Te quero bem e perto, me queira bem também.
O amor pode doer, mas ele também ilumina.

06/06/2015

unexpected dream


"Ansiosa, era como eu me sentia. Eu segurava na mão do meu amor, talvez meu marido, o olhei de relance e o presentei com um sorriso. Andávamos um pouco atrás de uma garotinha em direção aquela casa linda de madeira entre jardins enormes. Nós entramos na sala, uma casa moderna e aconchegante, era tudo tão lindo, tão eu. O tempo/espaço mudou, e agora estávamos eu e a garotinha sentadas em uma cama de um quarto pintado de branco todo decoradinho para uma menininha. Estávamos de frente uma para outra, e eu me lembro de tocar seus cabelos... como eles eram macios. De onde eu estava, eu podia ver meu amor na cozinha. Eu sorri. Ela conversava comigo, conversava desde a antiga casa, os amigos, sobre o cachorrinho e o mar imenso que conheceu. Eu escutava tudo com atenção, só sorria e me sentia feliz, de um jeito desconhecido... Eu me lembro de um dialogo, o único. A garotinha virou para mim e disse "posso ter acesso a internet e acessar todas as coisas legais?". Lembro-me de ter ficado seria e dito "confiança gera confiança, se eu puder confiar em você, sobre suas duvidas e suas pesquisas, você pode ter esse acesso. Posso confiar em você?" E ela sorriu, me garantiu que queria ser minha melhor amiga, e que conversaríamos de tudo. E a gente continuou conversando. Eu sorria e me sentia completa. É isso. Completa. Transbordando de carinho, amor e felicidade. Lembro-me de ter tido um sentimento tão lindo e tudo ao meu redor tivesse se tornado em segundo plano, como se aquela garotinha fosse uma das partes principais da minha vida, e que por ela, eu queria fazer todo o melhor, ser todo o melhor. Ela era luz para mim." 
E o sonho acabou. O sonho acabou. Eu abri os olhos e ainda sentia um pouco de toda aquela luz, e aquele sentimento intenso dentro de mim. 
Foi um pouco apavorante... Imaginar tudo o que nunca existiu ou ousou existir em meus pensamentos foi um pouco apavorante. Eu não considerava que nada disso faria parte da minha historia, dos meus desejos, do meu futuro. Mas estava lá no meu sonho. Foi como um filme. De alguma forma, eu tinha a casa que sempre quis, o amor que me fazia sentir em casa, e eu estava voltando para minha garotinha. Eramos uma família, que se manteve separada da menininha de alguma forma, mas estava começando tudo juntos. Eu sonhei com uma família feliz. Eu sonhei com uma família com ele. 
Isso me apavorava... Mas eu ainda sentia um pouco daquele sentimento intenso dentro de mim. Não sei. Não sei. Eu fiquei assim por algumas horas, rolando na cama, pensando na possibilidade, na ideia disso tudo. Era apavorante, mas era intenso.
Talvez eu não seja tão fria afinal. Pelo menos meus sonhos não eram mais.
Pensando bem, eu não sei dizer a idade da menina, com quantos anos ela aparentava. 
Não me lembro da cor dos olhos dela. 
O que mais me deixa triste é que eu não lembro da cor dos olhos dela. 

10/05/2015

Love


Eu te amarei para sempre.
Conheci uma pessoa, que sempre me trouxe paz, luz, sorrisos e me inspirava honestidade. Alguns anos de venda se passaram até nos permitirmos olhar um para o outro, cada um no seu tempo, como realmente nos sentíamos. Tê-lo em minha vida, sempre me fez questionar tudo, ele inconscientemente me incentivava a ver que ser normal não era bem minha praia.
Nossos primeiros beijos eram como faíscas, fogo, tempestade, algo perigoso, mas que atraia de uma forma profunda. Agora, o encontro dos nossos lábios, é como voltar para casa.
Eu me transformei tanto neste tempo que estamos juntos, me sinto cada vez mais como eu mesma, ou como sempre quis ser.
Tenho um sentimento diferente dentro de mim.
Todas as minhas paixões eram devastadoras, me consumiam, eu declarava a mim mesmo que era passatempo, entretanto, eu usava as minhas paixões para assumir o controle da minha mente, me encher de pensamentos, de ideias, me nublar, me esquecer. Eu precisava de paixões. Eu não suportava viver sem ofuscar a minha mente de mim mesma ou viver em silêncios ou preencher minha mente de vazios. Eu colecionava doenças mentais. 
Doenças. É tão claro e assustador olhar para trás agora. 
Eu não penso nele. Eu não tento me bloquear ou me ofuscar com pensamentos de nós ou dele. Nunca o usei desta forma. Eu não preciso dele. Eu o quero. 
Eu penso em mim agora. Aprendi a viver com meus vazios e respeitar o silêncio.
O tempo que tenho, quero passar ao lado dele, pois meus dias são mais alegres assim. O sorriso dele é minha felicidade. Os sonhos dele, viraram para mim um desejo, que ele tenha tudo o que desejas plenamente. Meu coração e alma são preenchidos profundamente com o carinho, cuidado e amor que tenho por ele.  O amo. Tão profundamente. Mas ele não ofusca minha mente. 
Qualquer seja nossos caminhos, nossa jornada, eu me sinto plena agora pra dizer... O amarei eternamente pois é um sentimento tão limpo e claro, sem máscaras, só honestidade. O amarei eternamente.
Se eu não tive-lo ao meu lado, viverei, mas uma parte não será iluminada como agora. 
Eu o amarei eternamente. Este é o problema. Ou minha solução.
Eu me sinto como se estivesse voltando para casa...
Eu me sinto como se estivesse voltando para casa.

07/03/2015

Time

BR-381, 100km/h, toca I Am The Highway no rádio, ela coloca o braço para fora da janela e começa a fazer movimentos com a mão como se fosse pegar um pouco do vento. Certeza, isso que ela tinha agora. Sempre andou como se precisasse de orientações, mas este sentimento não mais a acompanhava. Todas as suas necessidades de ser somente para algo ou alguém se foram, esta vontade existia por querer fugir de si mesma, por querer ignorar a si própria e seu eu de toda dor e perguntas. Os últimos lugares que visitou, as últimas pessoas que observou, os recentes olhares, a última lua, as estrelas de ontem a noite, as músicas às quais tem penetrado sua alma, a paciência que tem tido consigo mesma; tudo isto, tudo isto, serviu-lhe para se sentir liberta de qualquer pensamento que não seja seguir sua jornada. 
As pessoas tem medo de tudo que não seja normal e comum, e ela tinha medo de si mesma, das suas ideias e ideais. Não mais.
Com os vidros abertos, o vento bagunçava seu cabelo e ela sentia a natureza, os primores da vida, algo verdadeiro, e ela sorriu se sentindo leve. Ela aceitou a si mesma, e o fato de que viverá em constante mudanças e correções, mas agora era diferente... Ela estava tão tranquila e tão contente.

Não é tolice dizer que ás vezes, tudo o que se precisa, é de tempo.