09/02/2009

Das coisas em que não se deve acreditar Parte I

O telefone toca,
- Alô? – Atende ela.
- Oi minha linda – Era ele.
- O que te faz me ligar no fim de semana? – Surpresa.
- Só queria ouvir tua voz e te dizer o que descobri nessa última semana.
Silêncio.
- Como assim? – Curiosidade.
- Descobri, que é você o que eu quero pra mim, que ter você do meu lado é a única coisa que me importa agora. Quando soube que você estava namorando, senti o chão se abrir diante de mim. Fiquei sem rumo, sem direção, pois vi que havia te perdido. Sei que as coisas sempre deram errado entre agente e que o culpado sempre fui eu, mas ao te ver indo pra longe, me dei conta de que é de você que eu gosto, que é ao seu lado que eu quero estar. Quando você me disse que o namoro já havia acabado, minha primeira reação foi comemorar, pois surgia uma nova oportunidade para mim. Promete que ficaremos juntos outra vez? Que seremos só nós dois?
Silêncio,
Silêncio,
Silêncio.
- Estou aqui me expondo feito um bobo, nunca fiz nada parecido, é a primeira vez em que posso dizer que me apaixonei por alguém. Por favor, promete que vai ficar apenas comigo? – Expectativa.
- Como quer que eu te prometa? Você nunca foi de ninguém.
- Pois sou eu que te prometo, eu não quero mais ninguém, há não ser que seja você. Serei seu, apenas seu. Acredite nisso.
Desconforto.
- Preciso desligar agora, nos falamos pessoalmente amanhã – Desliga o telefone, acelera o coração.
Toca o telefone novamente,
- Alô? Atende ela, nervosismo.
- Só pra não deixar de dizer: Menina, eu adoro você. Lembre-se disso. Telefone mudo.
E o misterio continua..
Um sorriso, seus olhos brilham. Ela esmorece.

' Há quem cometa maldades. Há quem não saiba dizer a verdade. ' 


.

3 comentários:

Priscyla//_ disse...

Meninaa adorei muito, coisa linda parabéens !!
*-*
adoro mto essas postagens q falam sobre amor

Beijão.

Priscyla//_ disse...

E to esperando a partee dois...

Kah disse...
Este comentário foi removido pelo autor.