05/04/2009

O violento..

..

          














O mar bate suas ondas violentamente na areia, mas aquela brutalidade nao era maior que a dor aqui dentro do peito.
A angustia, frustração. 
     Ah como corria.
Lagrimas rolavam soltas, nada as impedia, ele agora gritava, urrava, tentando botar pra fora aquela dor instalada em seu peito, aquele sentimento vago, no vacuo. 
Incomodava, ah e como..
        As ondas agora eram mais fortes, batia em seus pes violentamente. 
Ele agora chora desesperado,  senta na areia molhada, beira do mar, as ondas o tocavam, batiam nele com força, mas ele nao notava.
   Ele chorava, gritava, tentava em vao tirar de si mesmo aquela dor, a angustia. 
Em meio a gritos, lagrimas e a agua o çeu ficava mais escuro, os pingos da chuva caiam fortemente..
     Ele cansa, as lagrimas apenas rolavam pelo seu rosto e se juntavam ao mar, os pingos da chuva escorriam pelos seus cabelos e roupas. 
Ah o vazio, nao passara..

By Texto: Josi Keller

7 comentários:

Chica disse...

Lindo!Mas logo passará.Após bastante lágrimas se juntarem ao mar, de repente, as ondas já não parecerão tão fortes e volta uma boa calmaria e paz! um beijo,chica

Giselle disse...

Jô,
o minha linda que texto lindo, mas uma hora esse vazio passará vc vai ver, logo a melancolia dará espaço ...
Linda semana para ti, tá?
Beijos grandes e deixe a vida te levar, rs

Maria Inácia disse...

Eu espero este vazio passe.

Ótima semana pra ti.

Bjim*

Sandokan disse...

Apenas uma rosa
Ela trazia na sua mão
Ao longe senti o aroma
Que o vento leve e suave trouxe.
Podia então sentir teus passos
Andando vagamente
No silêncio escondido
Para que eu não despertasse
Daquele sonho envolvente.
Senti então o barulho da porta
Que abria lentamente
Seu perfume dominava
Entrava nos meus sonhos
Invadia a minha alma.
Meu quarto perfumado
Era o aconchego, o
Meu refúgio, o meu pensar.
Espalhada na cama
Envolvida nos lençóis vermelhos
Elea chegava de mansinho
Nem pedia licença,
Já me enchia de carinho,
Beijava-me inteiro,
Deixava-me alucinado
Envolvia-me nos seus desejos.
Meus sonhos se foram
Ali estava ela delirando
Pelo meu amor.
Suas mãos atrevidas ela deslizava
Não temia os limites
E eu ali sonhava e vivia
Toda aquela magia
Todo aquele momento
De ternura e encanto.
Ah! Que belo sonho...
Eterno ele será
O dia que você existir,
Não precisa nem trazer a rosa
Traga apenas o seu coração
E sua alma cheia de amor
Que eu cuidarei da sua vida
E do seu amor.

Ni ... disse...

Ai ai ai... este vazio qdo entra parece querer morar pra sempre...

Lindo demais tudo por aqui...

Beijo e mais beijos...

Sam disse...

Ah querida!

O mar sempre há de diluir dores e temperar os sorrisos que antes estavam disfarçados em cinza e marés brabas.

É só aguardar...

Beijos em tua alma!

Claudia Goulart disse...

Nos meus piores momentos, tenho pesadelos com o mar. São sempre ondas gigantes, mar escuro e eu ali, indefesa.

Adorei o texto.
bj