06/07/2009

Uma carta de dor perdida ..

E as vezes vovê deveria se concentrar nas coisas boas.. apenas uma maneira de superar o dia!

Em um livro, especificamente no livro, "Veronika decide morrer", na contra capa, existe uma declaração desesperada, talvez uma carta, uma despedida, um aviso .. dizendo assim :

" Hoje 23/08/07 _ Quarta feira
Sou Roselane Ramalho, estou aqui no Santa Rosália ( hospital local ), sozinha sem o amor da minha vida ao meu lado.
Acredito que Deus esteja comigo, pois somente ele está no nosso lado nas horas dificeis.
Me sinto infeliz, pois a minha alma está opressiva. Não gosto dessa sensação de medo e solidão. O meu corpo está fraco, cansado, pois a perda de um filho nunca é boa. Sinto ódio, porque o pai sumiu, nem me ligou ao menos para saber se estou viva ou morta. Jamais confiarei em alguem plenamente como confiei nesse homem.
A vida agora não tem sentido, talvez a depressão tome conta da minha alma e depois tome uma dose forte de remedios para dormir profundamente e nunca mais acordar.."

Eis uma revelação verdadeira, dolorosa..
A dor qe essa mulher passava.. é percebida?
Nas letras hoje meio apagadas no livro encontrado em uma biblioteca publica local existia dor em cada toque de palavra.
E eu juro qe ainda restava uma sombra, uma mancha.. de uma lagrima!
Sofrida.
Eis apenas o inicio do livro.. eis uma sombra.
By Texto: Josi Keller

6 comentários:

Caá disse...

a dor da perda é horrivel :/

Wevertton disse...

Adorei o blog, por isso tornei-me seguidor! Convido vc e eseus amigos pra acessarem o emu! Ah e se puder, virarem seguidores tbm!

Déia disse...

Nossa! Que forte e que triste!
Dor de perder um filho, de perder o amor, não há nada pior...
Talvez haja, perder ela mesma.. e parece que ela está quase se perdendo...se ler o restante, nos conte! bjs

comme des habitudes disse...

oláa desculpa minha invasao adorei o seu texto! abraços..

Rodrigo Brower disse...

Nosso dia a dia é mais forte e mais interessante do que qualquer ficção! Bjs

Guilherme disse...

Muito interessante seu blog.
A dor da perda é horrivel, mas perder-se de si mesmo é pior ainda.
beijos