14/08/2011

Manhã, café, e desejos

Pergunte-me o que eu quero a cada manhã. A resposta é sempre a mesma: eu e você entre lençóis, preguiça e café; beijos e abraços, sorrisos bobos; aquele seu cheiro único e a maciez da sua pele contra a minha, seu cabelo; beijar-lhe o ombro e despertar o desejo entre nós novamente. Eu quero nosso silencio, e nossas risadas, pois isso tudo fazia meu dia ensolarado mesmo em meio a tempestades. Sinto falta de nós, falto do seu carinho, e falta de lhe dar toda atenção e amor que mereces. Ainda bebo muito café, leio bastante, mas querida, nada é como antes. O café parece sempre frio e insatisfatório, e a cada pagina de um livro eu olho por sobre o ombro, esperando que você venha me incomodar à leitura ao tocar meu corpo e confundir minha cabeça com seu aroma. Nunca pensei que saberia no sentido literal, o que era “saudade”, porém agora, tudo o que eu faço é sentir sua falta. Volte. Seja minha novamente.


Um comentário:

ૐ 'Priscylα disse...

Um pedido de alguém necessitado pelo amor.
beijos Josi ;D