15/11/2016

For today, no histories

Ela poderia inventar qualquer história do mundo. Criar laços, sentimentos e algo lindo de se imaginar.
Mas não hoje.
É incrível como a mente pode criar histórias de amor, amizade, tristeza, traições... Histórias. Não passam de criação da mente. Muitas destas historias, tem o poder de deixar o leitor feliz ou triste junto com o personagem. Histórias tocam o leitor.
Mas não hoje.
Histórias são viagens mentais, sentimentos, desejos ou fantasias do escritor. As vezes, todos estes estados juntos são culpadas de trazer uma história a vida. Escrever é lindo pois é desabafo, é se manter aberto para a vida, é se conhecer.
Não hoje.
Ela gostava de criar histórias em sua cabeça, de criar possibilidades, de viver acordada vivendo várias histórias na mente ao mesmo tempo. As possibilidades são tantas, tão grandes, ela achava difícil escolher e viver conhecendo apenas uma história. Ela queria conhecer todas, sentir todas, viver todas. Ela era escritora e leitora das suas próprias histórias.
Mas não hoje. Por hoje, ela não inventaria histórias, ela apenas seria. Seria só. Pois não haveria amizades, amores ou história alguma a se estar.
Hoje ela queria apenas ser ela, e isto consistia em estar só.
Ela inventava histórias para tornar a vida mais colorida, para sentir algo. E sem histórias, era isso, ela era só.
Por hoje, ela iria ser só.

Nenhum comentário: